Produção Vegetal

pós graduação produção vegetal

A Pós-Graduação em Produção Vegetal pertence à área de Ciências Agrárias, tendo como base a Agronomia. O Prof. José Barbosa dos Santos, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), explica que as linhas de pesquisa básicas do programa se dividem em Caracterização, Manejo e Conservação de Solos, a qual trata da formação dos solos e da relação solo-planta, e Caracterização, Manejo, Produção e Conservação de Plantas, que diz respeito à mensuração vegetal e melhoramento, além dos diversos aspectos ligados à fitossanidade.

O aluno de Produção Vegetal, segundo o Prof. José Barbosa, sai da pós-graduação com excelente formação nas seguintes áreas: Manejo Sustentável de Plantas Daninhas e Pragas; Melhoramento de Hortaliças; Tecnologia de Produção de Sementes; Grandes Culturas, com destaque para a Cafeicultura; Fruticultura, com ênfase em frutas de clima temperado; Melhoramento de Espécies do Cerrado; Microbiologia do Solo; Gênese do Solo, com realce para a recuperação e manutenção dos ambientes da Serra do Espinhaço e do Cerrado; Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas e Forragicultura. “Todos os professores do programa possuem projetos de pesquisa financiados pelo governo estadual e federal em todas as sublinhas mencionadas”, esclarece o coordenador.

O curso recebe alunos graduados em Ciências Agrárias, principalmente Agronomia, Engenharia Florestal, Zootecnia, além de Ciências Biológicas. Na UFVJM, conta o Prof. José Barbosa, a busca maior tem sido pelos próprios egressos da instituição, mas com demanda crescente por alunos formados em outras Instituições, a exemplo da UFV, UFMG, Unimontes e UFLA.

Mercado de Trabalho

O mestre em Produção Vegetal é absorvido principalmente por multinacionais ligadas ao setor de insumos e companhias do ramo de reflorestamento (fertilizantes e defensivos agrícolas), além de empresas públicas como o Instituto Estadual de Florestas (IEF), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) e Institutos de Educação Superior, explica o coordenador. “Contudo, o caminho mais seguido tem sido continuar na pós-graduação, em nível de doutorado”, ressalta o Prof. Barbosa. A partir de 2012, a UFVJM espera oferecer o nível de doutorado da pós-graduação, aumentando a formação de recursos humanos.

Com a consolidação do Brasil no cenário agrícola, mestres e doutores em Produção Vegetal são rapidamente contratados pelas multinacionais do ramo ou por empresas do setor agropecuário, ilustra o coordenador. “No setor privado, empresas multinacionais como a Monsanto, Syngenta, Bayer, Heringer, entre outras, tem contratado constantemente profissionais com esse título, com grande oportunidade de atuar no Brasil, assim como em outros países como Estados Unidos e Europa”, conta o Prof. Barbosa.

Salário

A remuneração é bastante variável. O mestre em Produção Vegetal pode ganhar entre R$2.000 e R$7.000, de acordo com valores repassados por egressos do programa da UFVJM. “As regiões mais carentes de mestres em Produção Vegetal são o Norte e Nordeste e o Centro Oeste. Contudo, o norte de Minas e os Vales do Jequitinhonha e Mucuri vem captando boa parte dos profissionais formados”, calcula o coordenador. Se você se interessou pelo curso, também é possível encontrá-lo na UFAC, UESC, UFES, FESURV, UFRPE, UENF, UDESC, UFT e Unimontes.


Comentários